Protocolo para desinfecção dos moldes, modelos e próteses

//Protocolo para desinfecção dos moldes, modelos e próteses

Protocolo para desinfecção dos moldes, modelos e próteses

2018-02-27T00:51:39+00:0008/01/2018|Categoria: Artigos|

Artigo gentilmente cedido por Plínio Marcos Modaffore e Cristiane Ueda

Devido à grande prevalência da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (SIDA / AIDS) e de outras doenças infecciosas como hepatite, herpes e tuberculose; algumas normas de biossegurança têm caráter obrigatório na prática odontológica atual. Na área de Prótese Dentária, existem materiais como os moldes, que podem estar contaminados com sangue e/ou saliva, ambos sendo veículos para a transmissão de agentes infecciosos bacterianos ou virais.

É preciso então que o cirurgião-dentista adote normas rigorosas para que os moldes, os modelos (por contaminação indireta) e as próteses sejam manipulados corretamente, evitando dessa maneira que patógenos saiam do consultório e atuem fora dele, tornando-se seguros antes de passarem para as mãos das pessoas que trabalharão com os mesmos.

PROTOCOLO DE DESINFECÇÃO – TABELA

Todos os materiais deverão sofrer uma lavagem em água corrente antes do processo de desinfecção, para remoção dos resíduos orgânicos (figura A).

DESINFECÇÃO DOS MOLDES
MATERIAL DE MOLDAGEM DESINFETANTE INDICADO MÉTODO DE UTILIZAÇÃO TEMPO DE AÇÃO*
Hidrocolóide irreversível (Alginato) Glutaraldeído a 2% Borrifar o produto sobre o molde
(figura B)
10 minutos
Hidrocolóide reversível PVPI Imersão do molde
(figura C)
10 minutos
Polissulfeto ou Mercaptana Glutaraldeído a 2% Imersão do molde 10 minutos
Poliéter Glutaraldeído a 2% Imersão do molde 10 minutos
Silicona Glutaraldeído a 2% Imersão do molde 10 minutos
Godiva Glutaraldeído a 2% Imersão do molde 10 minutos
Pasta de óxido de zinco e eugenol Glutaraldeído a 2% Imersão do molde 10 minutos

 

DESINFECÇÃO DOS MODELOS
MATERIAL DESINFETANTE INDICADO MÉTODO DE UTILIZAÇÃO TEMPO DE AÇÃO*
Gesso tipo I, II, III e IV Glutaraldeído a 2% Imersão do modelo 10 minutos
Gesso tipo V (sintético) Hipoclorito de sódio 0,5% Imersão do modelo 10 minutos

 

DESINFECÇÃO DAS PRÓTESES
TIPO DE PRÓTESE DESINFETANTE INDICADO MÉTODO DE UTILIZAÇÃO TEMPO DE AÇÃO*
PPF – Fase metálica Glutaraldeído a 2% Imersão da prótese 10 minutos
PPF – Fase estética Hipoclorito de sódio 0,5% Imersão da prótese 10 minutos
PPF – Metal free Hipoclorito de sódio 0,5% Imersão da prótese 10 minutos
PPR – Fase metálica (armação) Glutaraldeído a 2% Imersão da prótese 10 minutos
PPR – Fase acrílica (roletes de cera, montagem de dentes, prótese acrilizada) Hipoclorito de sódio 0,5% Imersão da prótese 10 minutos
PT– Fase acrílica (roletes de cera, montagem de dentes, prótese acrilizada) Hipoclorito de sódio 0,5% Imersão da prótese 10 minutos

* O material a ser desinfetado deverá ser acondicionado em uma caixa plástica hermeticamente fechada durante o tempo indicado para ação do agente químico.

Referências

1. CHAI, J. et al. A multicenter longitudinal clinical trial of a new system for restorations. Int J Prosthodont, v. 77, n. 1, pp. 1-11, Jan 1997 2. FRANCISCHONE, C.E.; VASCONCELOS, L.W. Sistema PROCERA. Nova tecnologia em estética. São Paulo

Quintessence Editora, 1a Ed., 2000 3. MAY, K.B. et al. Precision of fit: the PROCERA AllCeram crown. J Prosthet Int,. v.80, n.4, pp. 394-404, Oct 1998 5. NEIVA, G. et al. Resistance to fracture of three all-ceramics systems. J Esthet Dent, v.10, n.2, pp.60-66 6. ODEN, A. et al. Five year clinical evaluation of PROCERA AllCeram crowns.J Prosthet Int, v.80, n.4, pp. 450-456, Oct. 1998 7. SULAIMAN et al. A comparison of the marginal fit of In Ceram, IPS Empress and PROCERA crowns. Int J Prosthodont , v.10, n. 5, pp. 478-84, Sept-Oct. 1997 8. WAGNER, W.C.: CHU, T.M. Biaxial flexural strength and identation fracture toughness of three new dental core ceramics. J Prosthet Dent, v.76, n.2, pp.140-44, Aug.1996